Início > Oscar 2016 > Indicados ao Oscar 2016 – Lista e Avaliação

Indicados ao Oscar 2016 – Lista e Avaliação


88thOscars_Dream_1MS

Bom dia, meus caros leitores do blog. Acompanho, juntamente com vocês, mais uma vez, a divulgação dos indicados ao prêmio máximo da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. A expectativa é positiva para este Oscar porque a safra é boa – pelo menos analisando os filmes que tem chances no Oscar e que eu já assisti até agora.

A transmissão da cerimônia que oficializará a lista de indicados deste ano poderá ser assistida pelo canal do Oscar no YouTube (neste link). Dividida em duas partes, a divulgação terá a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs, os diretores Guilherme del Toro e Ang Lee e o ator John Krasinski. Serão anunciados, em duas levas, os concorrentes em 24 categorias.

A expectativa é que diversos indicados no Globo de Ouro sejam finalistas do Oscar também, com destaque para The Revenant, Spotlight e Carol. Logo veremos se essa previsão se confirma. Acima, escolhi um dos cartazes da interessante campanha da Academia este ano intitulada “We All Dream In Gold”. Há vários cartazes que fazem parte da divulgação, mas achei este com a diva e grande atriz Meryl Streep especial. Na página do blog no Facebook (que você pode acessar aqui) divulgo os outros cartazes da campanha.

Se a Academia for pontual, os diretores Guilherme del Toro e Ang Lee vão anunciar os indicados em Melhor Filme de Animação, Melhor Fotografia, Melhor Figurino, Melhor Documentário, Melhor Curta Documentário, Melhor Maquiagem e Cabelo, Melhor Canção Original, Melhor Curta de Animação, Melhor Curta de Ficção e Melhor Edição e Mixagem de Som às 11h30 no horário de Brasília.

Exatamente oito minutos depois, as 11h38, o ator John Krasinski e a presidente da Academia, Cheryl Boone Isaacs vão divulgar os indicados a Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Diretor, Melhor Edição, Melhor Filme em Língua Estrangeira, Melhor Trilha Sonora, Melhor Filme, Melhor Design de Produção, Melhores Efeitos Visuais, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Roteiro Original.

A transmissão abriu as 11h25 desta quinta-feira (14/01) com um dos organizadores pedindo para as pessoas esperarem cinco minutos para o início do evento. Depois, houve contagem regressiva de três e de um minuto. A divulgação começou as 11h31 com os diretores Guilherme del Toro e Ang Lee. Confira os indicados ao Oscar divulgados por eles:

Melhor Filme de Animação:

Avaliação: Alguns indicados eram mega previstos, como Inside Out, Anomalisa e Shaun the Sheep Movie, mas é admirável como a Academia lembrou de O Menino e o Mundo, do diretor Alê Abreu, no lugar de filmes que tinham um lobby muito maior, como The Good Dinosaur ou The Peanuts Movie. Mas ainda que seja bacana ver a uma animação com produção 100% brasileira concorrer, pela primeira vez, nesta categoria – uma das principais do Oscar, não devemos nos iludir. Será uma grande, imensa zebra se Inside Out não ganhar nesta categoria. Ele é o franco favorito, de longe. Ainda assim, será muito bacana e um orgulho ver Alê Abreu durante a cerimônia de entrega do Oscar entre os indicados.

Melhor Fotografia:

Avaliação: Como a safra de filmes com possibilidades no Oscar deste ano é muito boa, eis uma de várias categorias em que a disputa será por poucos pontos. Pelo frenesi – justo, diga-se – causado por Mad Max: Fury Road, não seria uma surpresa o filme ganhar nesta categoria. De fato o trabalho do diretor de fotografia John Seale é excepcional, um dos pontos fortes do filme. Mas o mesmo pode ser dito do trabalho de Emmanuel Lubezki de The Revenant. A disputa entre os dois e mais Robert Richardson, de The Hateful Eight, deve ser o centro das atenções nesta categoria. A direção de fotografia de Edward Lachman em Carol também é ótima, mas acho que ele corre por fora. Ainda não vi ao filme do Tarantino e a Sicario, para poder realmente bater o martelo, mas acho que a disputa ficará mesmo entre Mad Max: Fury Road e The Revenant. Pessoalmente, acho que votaria no primeiro.

Melhor Figurino:

Avaliação: Mais uma disputa das boas. Os figurinos de Carol são maravilhosos e um dos pontos fortes da produção. Imagino que o mesmo aconteça com Cinderella – ainda não vi esta produção – e com The Danish Girl. Outra pegada totalmente diferente temos com Mad Max: Fury Road e The Revenant. Do que eu assisti até agora, acho que Carol leva vantagem. Gostaria de ver o filme ganhando nesta categoria. Aqui, novamente, não vejo um franco favorito, mas dois ou três filmes disputando ponto a ponto a estatueta.

Melhor Documentário:

Avaliação: Com a lista de indicados fechada, agora eu posso correr atrás destes filmes para assisti-los e conseguir avaliar bem esta disputa. Mesmo sem ter assistido a nenhum deles, pelo que pude acompanhar das premiações até agora, parece que The Look of Silence tem vantagem sobre os outros concorrentes. Pessoalmente, estou curiosa para ver Cartel Land, filme mexicano que chega ao Oscar com um tema que sempre interessa aos americanos: a disputa de cartéis no país vizinho. Depois que tiver assistido a todos posso comentar melhor qual é a chance de cada um.

Melhor Curta Documentário:

  • Body Team 12
  • Chau, Beyond the Lines
  • Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah
  • A Girl in the River: The Price of Forgiveness
  • Last Day of Freedom

Melhor Maquiagem e Cabelo:

Avaliação: Curioso que esta categoria conseguiu ter apenas três filmes na disputa. Especialmente em uma categoria em que diversas outras produções tem um bom trabalho de maquiagem e cabelo. Mas ok, os votantes da Academia devem ter as suas razões para isso. Entre os concorrentes, não assisti ao desconhecido The 100 Year-Old Man Who Climbed Out the Window and Disappeared. Mas os outros filmes em disputa terão uma boa quebra de braço, já que tanto Mad Max: Fury Road quanto The Revenant tem na maquiagem e no cabelo elementos fundamentais para as respectivas histórias. Pessoalmente, ainda que o trabalho em Mad Max: Fury Road seja muito bem feito, acredito que The Revenant deveria ser premiado. Minha torcida estará por ele.

Melhor Canção Original:

  • “Earnet It”, do filme Fifty Shades of Grey
  • “Manta Ray”, do filme Racing Extinction
  • “Simple Song #3”, do filme Youth
  • “Til It Happens To You”, do filme The Hunting Ground
  • “Writing’s On The Wall”, do filme Spectre

Melhor Curta de Animação:

  • Bear Story (Historia de Un Orso)
  • Prologue
  • Sanjay’s Super Team
  • We Can’t Live Without Cosmos
  • World of Tomorrow

Melhor Curta de Ficção:

  • Ave Maria
  • Day One
  • Everything Will Be Okay
  • Shok
  • Stutterer

Melhor Edição de Som:

Avaliação: Nesta e nas demais categorias técnicas do Oscar a disputa será também voto por voto. Não assisti a todos os filmes indicados, mas não tenho dúvidas que a grande quebra de braço será entre Mad Max: Fury Road e Star Wars: The Force Awakens. Ainda que, originalmente, eu diria que Star Wars leve vantagem, não há dúvidas de que Mad Max tem uma grande edição de som. The Martian, que ainda preciso conferir, também deve ter um bom trabalho nesta área. The Revenant vai bem, mas acho que corre por fora. Meu palpite é que deve ficar mesmo entre Mad Max e Star Wars.

Melhor Mixagem de Som:

Avaliação: Como acontece na categoria de edição de som, aqui em mixagem de som a disputa será das boas. Mad Max: Fury Road e Star Wars: The Force Awakens tem nesta categoria uma de suas principais qualidades, não há dúvida. The Revenant também tem um trabalho de excelência aqui – não é à toa que ele foi indicado. Ainda preciso conferir Bridge of Spies e The Martian, mas meu palpite é que esta disputa ficará, novamente, entre Star Wars e Mad Max – talvez com uma pequena vantagem do segundo.

Depois de alguns minutos, o organizador do evento fez a contagem regressiva para a segunda leva de indicações. Exatamente as 11h39 o ator John Krasinski e a presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, Cheryl Boone Isaacs, subiram ao palco para anunciar aos indicados das principais categorias da premiação. Confira:

Melhor Ator:

Avaliação: Nenhuma surpresa nesta lista de indicados. Era certo que Leonardo DiCaprio estaria entre os finalistas, assim como Eddie Redmayne. Mas diferente do ano passado, quando Redmayne era o franco favorito no Oscar, desta vez este favoritismo está com DiCaprio. Este pode ser o ano em que a Academia “repare” o que para muitos foram duas injustiças históricas, dando as primeiras estatuetas douradas para DiCaprio e para Sylvester Stallone – falaremos dele na sequência. Seria curioso. Ainda preciso assistir a boa parte dos concorrentes, mas o meu palpite é que leva vantagem nesta categoria, realmente, DiCaprio. Concorrem com ele, mais de perto, Matt Damon e Eddie Redmayne. Ainda que Bryan Cranston e Michael Fassbender sejam grandes atores, acredito que eles correm por fora neste ano.

Melhor Atriz:

  • Cate Blanchett, por Carol
  • Brie Larson, por Room
  • Jennifer Lawrence, por Joy
  • Charlotte Rampling, por 45 Years
  • Saoirse Ronan, por Brooklyn

Avaliação: Nesta categoria há apenas uma meia-surpresa: Charlotte Rampling por 45 Years. A atriz, sempre maravilhosa, merece sempre ser indicada a um Oscar. Sem dúvida ela ficou com a quinta vaga, já que as demais eram praticamente certas. A disputa principal ficará entre Brie Larson, que está brilhante em Room; Cate Blanchett, igualmente maravilhosa em Carol; e a bastante elogiada Saoirse Ronan por Brooklyn. Ainda preciso ver a três atrizes e seus respectivos filmes que estão concorrendo, mas entre Blanchett e Larson, tenho a ousadia de apostar na segunda. Sou fã de Room e estarei torcendo por ele durante toda a noite de entrega do Oscar.

Melhor Ator Coadjuvante:

Avaliação: Aqui, novamente, apenas uma meia-surpresa com a indicação de Mark Rylance por Bridge of Spies. Esta produção esquecida no Golden Globes foi bem lembrada pelo Oscar. As outras indicações eram previstas. Assisti já a The Big Short, ainda que não tenha tido tempo de publicar o texto sobre aqui. Por isso, acredito, a disputa ficará entre Sylvester Stallone, Christian Bale e Tom Hardy. Isso avaliando pela ótica da Academia. Meu gosto pessoal, até o momento, seria de tirar Hardy da lista e incluir nela Mark Ruffalo. Dos trabalhos que vi até o momento – preciso ver ainda a Stallone -, meu palpite iria para Christian Bale. Mas esta é uma categoria em que muitos dos nomes listados tem chances de ganhar. De qualquer forma, se a Academia quiser fazer desta edição do Oscar uma espécie de “edição de redenção”, podemos ver Stallone ganhando o prêmio. Ele não ganhou pelo primeiro Rocky, mas pode ganhar por Creed. Quem diria!

Melhor Atriz Coadjuvante:

Avaliação: Nenhuma surpresa nesta categoria. Kate Winslet, vencedora do Globo de Ouro na categoria Drama e Rooney Mara, impecável em Carol, são as favoritas nesta disputa. Ainda que Alicia Vikander possa surpreender, já que ela tem sido muito elogiada por The Danish Girl. Ainda preciso assistir a todos os trabalhos na disputa, mas inicialmente a minha torcida vai para Mara. Gosto muito de Kate Winslet, mas preciso vê-la em cena ainda. Rachel McAdams faz apenas um bom trabalho em Spotlight e, na minha avaliação, ela está correndo por fora nesta disputa.

Melhor Diretor:

Avaliação: O grande esquecido nesta categoria foi, sem dúvida Ridley Scott, diretor de The Martian. Curioso a Academia ter deixado ele fora da disputa. Por outro lado, achei muito justo eles terem se lembrado de Lenny Abrahamson e de Adam McKay. Os demais indicados, diretores de Mad Max: Fury Road, de Spotlight e de The Revenant eram bolas muito cantadas. Francamente acho que o favorito para levar mais uma estatueta – a segunda seguida – para casa é Alejandro González Iñarritu. Um dos grandes fatores que fez The Revenant ser indicado a Melhor Filme foi, sem dúvida, a direção de Iñarritu – assim como o trabalho e a entrega de DiCaprio. Acho que a disputa ficará entre Iñarritu e George Miller, muito festejado por Mad Max: Fury Road. De fato a disputa é das boas. Pelo meu gosto, gostaria de ver Tom McCarthy ou Lenny Abrahamson ganhando. Mas acho que isso é bem improvável de acontecer. De qualquer forma, não há dúvidas que um grande diretor sairá premiado deste Oscar. Ah sim, outro nome “esquecido” e que poderia estar nesta lista é o de Todd Haynes, de Carol.

Melhor Edição:

Avaliação: Mais uma categoria com uma bela disputa entre grandes trabalhos. Mad Max: Fury Road é uma aula de edição, assim como The Revenant e The Big Short. Não assisti a Star Wars: The Force Awakens, mas imagino que ele também tenha um belo trabalho neste quesito técnico. Para resumir: todos os concorrentes tem boas chances de ganhar. Mas acho que a queda de braço maior estará entre The Revenant e Mad Max: Fury Road. Difícil escolher entre os dois, porque ambos são trabalhos de excelência, mas acho que tenho uma pequena predileção por The Revenant.

Melhor Filme em Língua Estrangeira:

Avaliação: Aqui existe, sem dúvida alguma, um grande favorito: Son of Saul. O filme tem colecionado prêmios e, para alguns críticos, ele poderia perfeitamente ser considerado um dos melhores do ano – independente da língua em que ele é falado. Pessoalmente, gosto muito de Mustang, mas acho que o filme não tem chances na disputa. Gostei que o filme colombiano Embrace of the Serpent (El Abrazo de la Serpiente) tenha entrado na lista final. Agora, tenho que ver aos outros três concorrentes que eu ainda não assisti para poder falar com mais propriedade desta categoria. De qualquer forma, para quem puder assistir, recomendo Mustang.

Melhor Trilha Sonora:

Avaliação: Mais uma categoria em que muitos filmes bons acabaram ficando de fora porque, afinal, fora a categoria de Melhor Filme, todas as demais tem a limitação de cinco indicados. Ainda preciso assistir à maioria dos concorrentes, mas dá para perceber que a disputa será acirrada. A trilha de Carol é divina, mas meu palpite é que The Hateful Eight e Bridge of Spies terão supremacia na queda de braço na comparação com os demais.

Melhor Filme:

Avaliação: Desde que o Oscar mudou as suas regras na categoria Melhor Filme, até 10 produções podem concorrer ao prêmio máximo da Academia. Curioso que este ano, diferente de anos anteriores, apenas oito filmes tenham recebido votos suficientes para figurarem na lista – nos últimos anos o mais frequente foram 10 ou nove indicações. A lista acima mostra alguns dos melhores filmes do ano, mas algumas ausências importantes. Acho que as mais notadas foram de Carol e The Hateful Eight. Fiquei surpresa também por Mad Max: Fury Road conseguir uma vaga entre os melhores do ano. Agora, como todos sabemos, há uma grande diferença entre um filme ser indicado e sair vencedor. Da lista acima, acredito que a disputa ficará entre The Revenant e Spotlight, com uma franca vantagem para o primeiro. Pessoalmente, estarei torcendo por Room, mas seria uma grande zebra se não fosse premiado The Revenant.

Melhor Design de Produção:

Avaliação: Boa lista em disputa. Ainda que poderia, tranquilamente, estar entre os cinco indicados Carol. Fora este esquecimento, acredito que esta seja uma boa seleção. Não assisti a diversos dos filmes ainda, mas vejo uma franca vantagem de Mad Max: Fury Road e, em segundo lugar, de The Revenant. The Martian me parece também ter um bom trabalho, ainda que a disputa fique entre os dois citados anteriormente. Pessoalmente, ainda que eu goste muito do design de The Revenant, aqui eu tenho que me render a Mad Max: Fury Road.

Melhores Efeitos Visuais:

Avaliação: Novamente a disputa é entre grandes, mas acho que ela ficará bem dividida entre Mad Max: Fury Road e Star Wars: The Force Awakens. Ainda que não poderíamos considerar uma zebra se The Revenant ganhasse nesta categoria. Bacana o Oscar ter lembrado de Ex Machina. Mas vejo que este filme e The Martian correm por fora.

Melhor Roteiro Adaptado:

Avaliação: Uma das minhas categorias favoritas, junto com Melhor Filme, as categorias para atores, Melhor Filme em Língua Estrangeira e Melhor Documentário. Aqui a disputa será acirrada. Não assisti a dois dos concorrentes, mas francamente vejo uma queda de braço maior entre Room e Carol. Francamente, acho os dois roteiros excelentes, mas o meu voto seria para Room. The Big Short também tem chances porque Charles Randolph e Adam McKay fazem um grande trabalho de adaptação do livro de Michael Lewis, mas ainda assim acho que ele corre por fora.

Melhor Roteiro Original:

Avaliação: Outra das minhas categorias preferidas a cada Oscar. Esta lista foi uma das que mais me surpreendeu neste Oscar. Ex Machina e Straight Outta Compton não foram escolhas óbvias da Academia, muito pelo contrário. Interessante também ver a diversidade de filmes em disputa. Acho uma das categorias mais abertas, ainda que eu veja Spotlight com uma certa vantagem frente aos demais. Logo saberemos.😉

Com estas considerações feitas, vale comentar que The Revenant liderou no número de indicações, como era esperado, tendo 12 chances de sair com uma estatueta de ouro do Oscar 2016. Acredito que ele sairá com mais de uma – grandes chances em Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator, para falar só do principal. Em segundo lugar entre os mais indicados está Mad Max: Fury Road, com 10 indicações. O filme tem grandes chances nas categorias técnicas. Depois aparecem The Martian, com sete indicações; Carol, Bridge of Spies e Spotlight com seis indicações cada um; e Star Wars: The Force Awakens e The Big Short com cinco indicações cada.

  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: